Search

terça-feira, 27 de março de 2007

Comportamento Social na Inglaterra, Séc. XIX (2)

Na publicação passada, abordei a frivolidade com que viviam os aristocratas da Era Vitoriana. Eles possuíam uma vida que aparentava ser boa, mas, indo a fundo, podemos perceber como as relações eram vazias e sem sentido e como era tedioso o cotidiano (especialmente das madames) da classe alta nesse século.
Hora de abordar aquele grupo de pessoas que, nem aparentava, nem tinha a vida boa: a classe baixa...\o/

Pobreza e riqueza misturados nessa pintura de William Frith.
"Poverty and Wealth", por William Frith.

Segundo Tópico: A Classe Baixa

A classe baixa era composta por pessoas que se tornaram desempregadas (na área rural) de uma hora para outra e tiveram que migrar para as cidades, além dos próprios habitantes dos centros urbanos. A intensa atividade industrial da Era Vitoriana foi um dos motivos que resultou nessa urbanização, nesse movimento migratório.
Os menos afortunados viviam em cortiços ou em casas abandonadas pela classe alta decadente; não havia água nem boas condições sanitárias (contribuindo para a disseminação de doenças, inclusive), tal como a falta de segurança e a não-existência de escolas contribuía para a má qualidade de vida dessas pessoas.
Nas indústrias, não é novidade para ninguém: as jornadas de trabalho eram realizadas das 5:30 da manhã, podendo ultrapassar as 10:00 da noite. Homens, mulheres e crianças eram aceitos nesses empregos, ainda que mulheres e crianças obtivessem um salário menor, com o mesmo tempo feito por homens. Mesmo para o sexo masculino, o trabalho, além de pesado e estressante, rendia ordenados baixíssimos para os trabalhadores. Nessa época, por conseqüência desse fator, a taxa de alcóolatras e viciados (especialmente em ópio) era grande.

As dificuldades da classe baixa.
"From Hand to Mouth — He Was One of the Few Who Would Not Beg", por Thomas Faed.

Obviamente, além do trabalho nas fábricas (e também nas minas), havia as profissões exercidas na rua (vendedores, hospedeiros, por exemplo), aquelas que exigiam uma determinada habilidade (carpinteiros, ferreiros,...), ou o trabalho prestado à classe alta (mordomos, faxineiras, motoristas de carruagens...).
As crianças também trabalhavam fora de fábricas; quem nunca topou, por exemplo, com histórias ambientadas no século XIX que continham personagens como os pequenos "matchsellers" (vendedores de fósforos), "flower sellers" (vendedoras de flores), entre outros? Essa, infelizmente, é uma realidade presente nos dias de hoje em países como o nosso, em que o trabalho infantil continua a ser utilizado, e nós continuamos a ver crianças vendendo balas e frutas nos sinais, para não dizer coisas piores, como drogas... No século XIX, existe ainda uma estimativa de que a maioria das prostitutas estava entre 15 e 22 anos de idade, ou seja, garotas extremamente jovens - um problema que persiste no mundo atual, a exploração sexual infantil...

O êxodo rural.
"Hard Times", por Sir Hubert von Herkomer.

Lembrando que as mulheres ricas não trabalhavam, as de classe inferior, em geral, precisavam de uma ocupação para sustentar a família e a si mesmas. As mulheres de classe média baixa podiam trabalhar em hospedarias e hotéis, ser vendedoras, governantas ou professoras, além de fazer parte de ordens religiosas. As de classe baixa podiam ser empregadas domésticas, costureiras, lavadeiras, trabalhar nas fábricas, minas e fazendas, entre diversas outras pequenas ocupações. Àquelas sem emprego, restava mendigar ou se prostituir. Essas duas últimas atividades eram algumas vezes punidas pela polícia (!), sendo consideradas algo que hoje corresponderia ao "atentado ao pudor". Para as prostitutas, até é compreensível qual o atentado ao pudor por elas "cometido"; mas há casos registrados de pedintes que, por ordem das madames da alta sociedade, eram presas por suas atividades!
Também já foi citada a opulência dos vestidos (com armações gigantescas de saia) e dos acessórios das senhoras da sociedade; é claro que esse estilo de vida não correspondia ao da mulher comum de pouco dinheiro. Nós nos acostumamos com a idéia dos vitorianos ricos e suas roupas; mas a realidade dos pobres era bem menos "romântica" e bem mais dura.

Sem casa e com fome, a situação dos desempregados ingleses...
"Houseless and Hungry", por Sir Luke Fildes.

A educação era algo muito restrito à população menos favorecida. Ela até existia para algumas crianças, mas, mesmo para essas, era algo básico, sem comparação com o ensino de Gramática Latina e Grega a que os meninos de Eton, por exemplo, tinham acesso. A educação formal para crianças pequenas era dada pela escola dominical (aquela da igreja), quando ela era dada. A maioria das crianças nem chegava a freqüentar esse tipo de local, principalmente por conta do trabalho que tinham que efetuar nas fábricas e minas. Na verdade, um sistema educacional básico só foi criado pelo governo inglês em 1870, mas ainda era dirigido pelas igrejas que antes faziam o trabalho voluntariamente.

Referências:
VictorianWeb.org - minha principal base de estudos e fonte de imagens.
Fashion-Era.com - introdução do modo de vida da classe baixa.
Church Schools in England - sobre as escolas conduzidas pela igreja.
Emma - A Victorian Romance - novamente as notas históricas do mangá me deram base para achar as "board schools" inglesas (que me levaram ao site anterior)...;D

Indicações [BLOGS]:
Akemi - blog da Akemi, textos sobre o trabalho infantil, top de linha! ;D
Anna Schneider - a história dos perfumes e cosméticos, inevitavelmente parte da moda...:]
Behrens - sobre a moda em geral.
Rafaela - também sobre a moda.
Cynthia - sobre a Medicina e suas descobertas (relacionadas à melhoria de vida da população).
Dóris - a respeito de crianças e adolescentes nessa época...
Juliana M. - excelente blog sobre as mulheres no século XIX.
Paula - sobre as doenças na Era Vitoriana, muito importante em se tratando de perigos pelos quais a população passava...;)

Por enquanto é isso. No próximo tópico, pretendo falar sobre as diversões dos ingleses do século XIX. Além disso, quero citar alguma coisa sobre um cara chamado George du Maurier e a revista Punch, duas coisas que apareceram durante as minhas pesquisas e que me interessaram muito... O que será...?^^'

Jaa!o/

11 comentários:

Anônimo disse...

bah
a paula me mando comenta então vamos la!
o troço ta tri organizado, mas o assunto não ajuda, mano.
ta bem escrito, mas tem muita linha
ta bonito o visual, mas... bah não sei o q bota
agora falando serio:
muito tri o trabalho, parabens
rafa, mano da paula( aquela tua colega chata)

Anônimo disse...

É incrível como a vida das pessoas mais pobres não muda!

Dimítria E. disse...

Olá, ^^,
Estou escrevendo um livro que de certa forma usa o final do seculo XIX, mas por poucos capitulos apenas, seu tópico foi de muita ajuda, pois mesmo que eu leia muitos romances e tudo isso, veja em filmes, etc, esse seu resumo, bem, acordou minha mente para coisas que eu já ia esquecendo!
Obrigada!
Abraço.

Nanda disse...

Ah! Seu texto foi de grande ajuda, principalmente as referências bibliográficas(precisava encontrar exemplo de casas dessa época)...Obrigada! ^^

ana disse...

muito bom o texto
muito explicito
resumido
agradável de ler
muitos parabens

♪menininha♫ disse...

Olá!
Sou acadêmica do curso de lic em letras port inglês e vi que seu blog tem informações sobre o estilo de vida e costumes do século XIX na Inglaterra.
Estou escrevendo meu tcc sobre Jane Austen e Orgulho e preconceito, traçando um paralelo entre Elizabeth (personagem principal da história) e como era a vida das mulheres naquela época, como eram tratadas e coisas assim.
Não encontro muitas coisas sobtr aque época e gostaria de saber se vc tem alguma indicação para mim.
Aguardarei sua resposta!
e desde já agradeço!

se puder me mandar um email
agradecerei mais ainda
meu email é: menininha182@gmail.com

shinjihao disse...

Putz, fez sucesso. Okay, meu motivo para pesquisar foi ridículo. [riscado]Não estou aqui por um jogo de RPG, lálálá.[/riscado]Suas informações foram MUITO úteis para mim, principalmente o "supamu wa dame" xP. Ignore o fato de isso parecer mais um depoimento de orkut. Eu só estou aqui para agradecer pelo seu ótimo trabalho.[melodrama]O que seria da minha vida sem você. D:[/melodrama]Poste mais informações, se não for pedir muito, gostei bastante. Droga, meu comentário ainda não é o maior. Gostei muito muito muito do blog. /alunoburrosefudendoparafazertextode10linhas
Okay, já chega, eu estou ficando chato. U.U

Luísa disse...

shinjihao: RPG é tudo de bom, um p*ta exercício de criatividade! Eu só tenho muita preguiça de me reunir com as pessoas e jogar sem fazer nenhuma besteira.
Fique à vontade para usar as informações aqui contidas, mas se puder olhar os links de bibliografia, é sempre melhor - minhas postagens são resumos de tudo o que encontrei por aí. INCLUSIVE Wikipedia, ou seja, fontes nem tão confiáveis assim.:B
É isso. Obrigada pelo comentário.^^

Anônimo disse...

Hello,

This is a question for the webmaster/admin here at sputnikvanik.blogspot.com.

May I use some of the information from this blog post right above if I provide a backlink back to your website?

Thanks,
Daniel

Anônimo disse...

Hey - I am certainly glad to find this. great job!

Anônimo disse...

Nice work, regards